terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Como montar uma boa coreografia (especialmente para as moçoilas da academia)

Tem teste!Fujam para as colinas! Iauhaiuhaiuha, bem, acho que não há necessidade de fuga, como vocês sabem, eu adoro um testezinho né?Um desafio faz bem e sempre testa nossas capacidades, como sou gente boa, vou postar algumas dicas aqui para vocês, e como disse SE, eu disse SE, eu ver que vocês estão interessadas eu posto umas músicas legais, vamos lá:




1: Antes de tudo, tenha o que você quer em mente, se você quiser um solo de derbak uma semana e na outra decidir dançar um Said e acabar montando um clássico com véu três dias antes do teste-show você não vai explorar todo seu potencial.
2: Sente-se no sofá, coma uma pipoca e escute a música 11816516548 vezes, até ela não sair mais da sua cabeça, não escute uma vez e já saia montando a coreografia, o conhecimento da música é muito importante para uma coreografia perfeita
3: Hora de estudar a música profundamente, quantos oitavos tem minha música?Quantas vezes ela repete até aparecer um floreado?Quantos ritmos minha música tem?E quais são eles?Ela muda de velocidade?Tenha a resposta para essas perguntas e montará a coreografia com muito mais facilidade
4:Anote sua coreografia!E tenha sempre papel e caneta em mão caso uma idéia surja do nada, algumas bailarinas gostam de dividir a coreografia por tempo ex:
- 0:00 á 0:12 introdução
-00:12 á 0:24 4x básico egípcio/1 giro PE
E assim por diante...
Eu prefiro anotar as seqüências divididas por oitavos ou quartos (em alguns derbakes) mas faça do jeito que você memorize melhor.
5: Tenha bom senso, não monte nada grande demais, ninguém quer ver 20 minutos da mesma dança (mesmo porque tem um limite de tempo), atenção redobrada para os ritmos e trajes no caso de dança folclórica, nada de barriga de fora em Said e raks El balaas (dança do jarro), não precisava nem dizer isso né?
6: Não improvise, claro que improvisação é uma delícia, mas improvisando a dançarina usa de 10 a 20% da sua criatividade, agora é hora de mostrar o seu potencial, faça uma dança coreografada e deixe o improviso pra depois
7: Use e abuse da criatividade, não se contente com uma coreografia medíocre, dêem o melhor de si, evite repetir demais os mesmos passos (salvo em músicas que repetem refrão) e lembrem-se sem abusar demais dos passos “coringas” 30 pivôs e 50 cambrets são maçantes e desnecessários.
8: Surpreenda! Certa professora me disse há muito tempo atrás que se você iniciar uma dança de qualquer jeito, você pode dar um duplo twist carpado no final que não vai prender o público, comece a dança com estilo elegância e prenda os olhos do publico até o fim, faça uma entrada e uma saída marcante.
9: Expressão! Expressão nem sempre significa sorrir, o seu rosto deve transmitir a emoção que a dança te passa, o publico deve sentir essa emoção com você (já chorei com a dança de uma bailarina e a coreografia não era coisa de outro mundo, mas a emoção dela trouxe brilho para a dança) tenha carisma, publico é amigo, não carrasco.
10: dance o que você sabe.Melhor uma coreografia simples bonita e bem limpa, do que uma coreografia elaborada com uma técnica que você ainda não domina.
11: procure uma inspiração e lembre-se inspirar-se não é copiar!Estamos em uma era em que conseguimos acessar vídeos, textos e aulas de dançarinas do mundo todo, aproveite a onda digital e estude!
12: explore o espaço do palco, não existe só aquele meiozinho, e provavelmente as pessoas estarão em direções diferentes, todos querem ver você dançar, não só as pessoas na direção do meio do palco.
13: Tome cuidado com o traje e com a maquiagem, calcinha aparecendo, alfinete pendurado é o fim da picada, quanto á maquiagem, faça a que combine com a sua personalidade, se você é mais básica não ficará muito á vontade parecendo uma Drag Queen, além disso, não fica nada bonito, as mais ousadas podem abusar da maquiagem um pouco mais forte, mas cuidado para não parecer que acabou de sair do filme “Priscila a rainha do deserto”, tudo com bom senso é permitido.
14: Não monte a coreografia e deixe-a de lado, ensaie até o ultimo dia possível e limpe-a.
15: Procure não ficar nervosa, relaxe, e lembre-se uma coreografia montada traz uma segurança maior,caso você erre ou esqueça,improvise momentaneamente e continue a coreografia, jamais pare de dançar no meio da música.
No mais garotas é isso,colherona de chá pra vocês heein,agora vai depender do esforço e interesse de vocês,muitas vezes eu costumo ser implicante com algumas de vocês,mas é porque eu amo cada uma de coração e sei que muitas vezes vocês não mostram nem metade do que vocês sabem e conseguem fazer,surpreendam a mim,surpreendam a todos, vocês tem talento de sobra! Bom teste.

Pequenas bailarinas, grandes mulheres

(Bailarina e gerontóloga,Katita Gomes)

O que você faz com o seu talento?

Nós podemos mudar o mundo com o talento que a gente tem.

No mundo da arte,principalmente na música e na dança,várias vezes começamos a pensar no que realmente importa, fama?reconhecimento? e muitas vezes as pessoas são guiadas por esse sentimento e se esquecem que todo talento vale mais do que fama e que muitas vezes,pessoas anônimas,simples, fazem muito mais diferença dos que as estrelas.

Mas por que você está dizendo isso?fama é ruim? Não, a fama não é algo ruim é o resultado de anos de trabalho e ensaio,dias perdidos num Studio de dança,dinheiro gasto...mas muito mais bonito do que uma mulher em um palco é a mulher que faz da vida um palco e usa a dança para colorir o seu mundo e o mundo das outras pessoas.

Pensando nisso eu lembrei de uma pessoa que conheci na aula de dança, eu tinha uns 14 anos quando notei a presença dela.. ou 15 não sei,ela não era a dançarina que chamava mais atenção e se esforçava muito durante as aulas, mas ganhou imediatamente minha admiração,Kátia,chamada por nós de Katita, é assistente social e gerontóloga e resolveu usar sua paixão pela dança para trazer uma nova motivação para vida das idosas com quem ela trabalhava,eu lembro que no início foi muito difícil,mas ela teve paciência e persistiu no seu trabalho, e hoje seu grupo é uma grande referencia, pra mim e pra cidade de Belo Horizonte onde resido.

Com o pouco que ela tinha,Katita fez muito, e vai continuar fazendo, e com o muito que você tem?você tem feito o quê?



(Katita Gomes e o grupo da terceira idade Fios Dourados)


quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Aconteceu; Curso de Férias




Gente, workshop pra mim é tudo!apesar de estar em uma academia fixa desde que me entendo por gente,ver a dança na visão de outra pessoa é simplesmente maravilhoso, porque a dança é algo individual,cada bailarina tem algo único a ensinar e workshops são bons por isso,novas técnicas,novas inspirações, eu sempre adorei o Tribal Fusion,mas tinha uma visão muito superficial do que era o Tribal,sempre me interessei mais em lidar com a dança do ventre tradicional em si,mas o tribal me envolve por lembrar um pouco do meu estilo pessoal:diferente, exótico,incomum.
Para retomar minha rotina com a dança depois de um 2009 difícil (já falei sobre isso aqui) eu escolhi o curso de férias da Nanda Najla e dou nota 10!a Nanda é dotada de um físico e uma técnica surpreendentes,as outras professoras também são ótimas,Adorei! essa é uma fusão que não domino 100% e estou adorando poder estudar mais sobre ela,quem sabe não vem outra coreografia de Tribal Fusion por aí?



terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Recomeçar

Recomeçar
“Tudo tem começo e meio. O fim só existe para quem não percebe o recomeço”
Em várias áreas da vida,muita gente decide erroneamente desistir em vez de recomeçar,em um sábado qualquer no qual você fugiu da dieta,você pode escolher desistir e comer tudo o que vier pela frente durante o resto do ano e se frustrar depois, ou você pode recomeçar,superar aquele erro e seguir em frente.
E como a arte imita a vida na dança não foi diferente,depois de 7 anos dançando eu fiquei doente e tive que parar não só a dança mas todas as minhas atividades,eu fiquei completamente desolada,quando tudo começa a dar certo,destaque,auto-confiança,as meninas gostando tanto das minhas aulas,quando comecei a pensar em mercado Persa em 2007,casa de chá,todas essas coisas que toda nova professora sonha,o meu mundo inteiro desmorona...azar?não mesmo, lição de vida.
Muitas vezes eu fico pensando no tanto que amadureci como ser humano,no quanto os meus sonhos ficaram claros para mim e no tamanho do valor que eu dei a vida que eu levava,foi muito difícil voltar pra um lugar onde eu estava no auge e recomeçar,o sentimento que tudo foi perdido vem,uma impotência,sentimento de retrocesso,mas o que eu fiz foi simplesmente ignorar tudo de negativo que vinha à minha mente,erguer a cabeça e começar de novo,não do zero como eu pensei, mas da onde parei e incrivelmente muito melhor como pessoa,com novos conceitos e cheia de certezas sobre a vida e o que a dança representa pra mim,porque como disse Neimar de Barros: Não importa quantos passos você deu para trás, o importante é quantos passos agora você vai dar pra frente.
Se você parou,não importa o que ou quando,erga a cabeça e recomece!
Nathália